O que é ser um bom amante?

O amor parece não pertencer àquele grupo seleto de atividades que a pessoa desempenha tanto melhor quanto menos pensa e pratica. Mas, se parece aconselhável ter algum preparo,  que exatamente  deveríamos praticar? E o que tudo isso tem a ver com arte?

Saber amar é diferente de admirar. (…) É aí que precisamos recorrer a qualidades que raramente brotam de modo natural e quase sempre requerem alguma prática: capacidade de ouvir devidamente o outro, paciência, curiosidade, flexibilidade, sensualidade e razão.

Alain de Botton e John Armstrong – Arte como terapia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s